(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com

Clareamento dental a laser não existe

Técnica é muito difundida, mas nada eficaz no que diz respeito ao clareamento dental, que deve ser realizado com géis clareadores

Você já deve ter ouvido falar no clareamento dental a laser, técnica famosa e erroneamente divulgada nos consultórios do Brasil e do mundo. O tratamento promete clarear os dentes por meio de fontes de luz a laser, mas, na verdade, quem clareia os dentes são os géis utilizados no procedimento. O uso dessas luzes de forma errada pode até mesmo ser prejudicial para a saúde bucal devido ao aquecimento causado no processo.

A questão é: por que o clareamento dental a laser é tão divulgado como uma técnica positiva? Há alguns anos, houve uma venda desenfreada de equipamentos para clareamento dental a laser e a nomenclatura, que é muito comercial e ótima para marketing, pegou. Em pouco tempo, também estava na boca dos pacientes. Por isso, muitos dentistas divulgavam seus “tratamentos inovadores”, com a promessa de agilidade e como se o protagonista fosse o laser. E ele não é — longe disso, inclusive!

“Muito se fala em utilizar o laser ou outra fonte de luz durante o procedimento ambulatorial para potencializar a ação dos géis, mas pesquisas comprovam que o laser não causa nenhum impacto no procedimento. Pelo contrário, o fato de aquecer os dentes é até mesmo prejudicial e deve ser evitado, causando reflexos negativos para o paciente”, explica Sergio Correia, profissional que realiza o tratamento de clareamento dental em Curitiba, em seu consultório.

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo Centro Nacional para a Informação em Biotecnologia dos Estados Unidos (NCBI, na sigla em inglês) fez a seguinte pergunta: “Há algum protocolo de ativação a luz capaz de melhorar a coloração dos dentes quando associado aos géis clareadores?” A pesquisa concluiu que não há qualquer ganho em usar o laser neste processo.

Na realidade, os géis são os responsáveis pelo branqueamento, já que a reação química é tão potente que dispensa o uso de qualquer fonte de luz. “Usamos produtos certificados e de qualidade, que garantem os resultados desejados com a aplicação correta. O mais importante é focar no resultado para o paciente”, salienta o dentista.

Sensibilidade

Alguns especialistas usam o laser para auxiliar no clareamento dental, alegando redução da sensibilidade. Contudo, dependendo da fonte de luz e do tempo de exposição, pode haver aumento da temperatura pulpar, acarretando justamente no contrário: irritação e hipersensibilidade dental.

“A laserterapia e o uso de laser no clareamento são procedimentos completamente diferentes. O primeiro pode auxiliar nos tratamentos para hipersensibilidade dental, mas, em conjunto com os géis de clareamento, o laser pode ser o causador da sensibilidade”, alerta Correia, que atende em Curitiba no Batel.

Que tal se consultar com alguém que entende do assunto? O dentista Sergio Correia está em constante atualização, para proporcionar o melhor atendimento aos seus pacientes, esclarecendo dúvidas e orientando da melhor forma. Sua prioridade é sempre o paciente e não o marketing. Agende a sua consulta.

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).