(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com
Retirada do Siso em Curitiba

Retirada do siso em Curitiba: tire suas dúvidas sobre o procedimento

Encontrar um dentista capacitado e seguro para fazer a retirada do siso em Curitiba é fundamental, mas o paciente precisa também tomar os cuidados adequados no pós-operatório

Há algum tempo, a extração do siso se tornou um procedimento comum, realizado em consultório por inúmeros motivos, como a melhora da higienização. Um tratamento extremamente seguro, mas que exige a escolha de um profissional qualificado e cuidados pós-operatório.

Apesar dessas facilidades, o procedimento só é indicado depois de uma consulta detalhada para melhor compreensão do quadro clínico. As cirurgias, especialmente se os sisos não estiverem inclusos, são rápidas, não tomando mais do que 40 minutos, e somente são realizadas após exames radiográficos e laboratoriais.

Veja alguns motivos para realizar a retirada do siso:

– Higienização

Em alguns casos, até existe espaço para o siso na arcada dentária do paciente, contudo é muito difícil para fazer a higienização. O fato de a limpeza não poder ser feita de forma adequada cria um risco de cáries e outros tipos de problemas para o paciente, gerando a necessidade de remoção.

– Pressão sobre os dentes vizinhos

É comum que os dentes do siso possam afetar a estética do sorriso do paciente com seu nascimento, gerando o desalinhamento da arcada dentária após a sua aparição. Em casos como esses, a retirada também pode ser necessária, visando manter o sorriso em perfeitas condições.

– Falta de seu par

Pessoas que passaram por tratamento ortodônticos, por vezes, tiveram que retirar os sisos inferiores ou superiores em algum momento. Quando esse par não está presente, recomenda-se a retirada em função da falta do dente, que afeta a mordida e a arcada dentária.

– Infecções

No caso de ser tomado por infecções recorrentes, como cáries ou outros problemas, a retirada também pode ser necessária até para evitar problemas mais graves no futuro.

– Dores

Pode ocorrer de o nascimento dos sisos gerar dor no rosto como um todo, afetando a mandíbula e até os ouvidos. Nesses casos, após a investigação e confirmação do quadro, é necessário retirar os terceiros molares.

Pós-cirúrgico

Após a realização do procedimento, é importante que o paciente assuma o protagonismo em prol de uma boa recuperação, tomando cuidados nos dias em que estiver em casa até o retorno ao consultório do profissional.

Na maior parte dos casos, mesmo nos sisos inclusos, a recuperação é rápida e confortável, sem maiores incômodos. Abaixo, algumas indicações:

– Bolsa de gelo

É normal que o rosto fique um pouco inchado após o procedimento. Para diminuir o inchaço e aliviar os incômodos, as bolsas de gelo são excelentes companhias, especialmente no primeiro dia.

– Comida líquida e pastosa

Evite ingerir alimentos duros e que exijam muita mastigação. Uma dieta líquida e pastosa e, de preferência fria, pode contribuir para uma recuperação mais rápida. Alimentos quentes, como as sopas, atrapalham na cicatrização do procedimento.

– Siga as medicações

Os remédios foram prescritos para evitar infecções ou aliviar dores. Lembre-se de seguir à risca essas recomendações.

– Evite cigarros e bebidas alcoólicas

Embora seja um procedimento simples, há um corte na boca, que exige cuidados para a cicatrização. Por isso, tanto os cigarros quanto as bebidas alcoólicas, são verdadeiros vilões do processo de recuperação.

– Mantenha a higiene

Com um machucado na boca, a higiene bucal é ainda mais importante do que em dias normais. Tenha atenção, faça movimentos cuidadosos para evitar choques muito fortes, o que pode causar lesões e atrapalhar a recuperação. Relembre a forma correta de escovar os dentes!

Cuidado com a extração do siso tardia

Os sisos começam a nascer no final da adolescência – entre os 16 e os 20 anos. Neste momento, o profissional é capaz de detectar quando o dente pode vir a causar problemas no futuro, especialmente se estiver em um local de difícil acesso para a higienização, pressione a arcada dentária ou sofra com a falta de um par. Mesmo nesses casos, em um primeiro momento, o siso pode não gerar incômodos.

“Em uma consulta, é possível identificar os riscos. Às vezes, não existem espaços na arcada dentária e, em outros casos, o paciente terá muita dificuldade para conseguir fazer a higienização do modo adequado”, explica Sergio Correia, dentista que realiza a cirurgia de retirada do siso em Curitiba em seu consultório, localizado no bairro Batel.

Procedimento mais complicado

Quando os terceiros molares são extraídos após o seu nascimento, suas raízes não estão completamente fixadas nos ossos, o que torna o procedimento mais simples. Pesquisas confirmam que, quanto maior a idade do paciente, maior a incidência de infecções e dificuldades no pós-operatório.

Outro benefício da retirada precoce do siso está relacionado à saúde em geral. Como já foi apresentado no blog, estudos apontaram uma relação entre pequenas infecções bucais com a ocorrência de problemas cardíacos, em especial o infarto e o AVC. A correlação está no fato de que as infecções na boca, mesmo que pequenas, levam as bactérias para a corrente sanguínea.

Por fim, as doenças periodontais – que podem ocasionar até mesmo queda dos dentes por afetarem os tecidos de sustentação – são um risco. A origem do problema é decorrente justamente dos problemas com a higienização.

Sisos inclusos: tecnologia facilita procedimentos

Se muitas pessoas sofrem com medo de extrair os terceiros molares, a explicação está em razão da dificuldade de remover os chamados “sisos inclusos”.

Dentes “inclusos” são aqueles que enfrentam problemas para nascer por vários motivos – como o fato de estarem inclinados ou não haver espaço suficiente para se tornarem visíveis – e dificilmente vão ocupar seu espaço devido na mastigação.

A retirada é indicada pelas inúmeras consequências que podem causar ao paciente, como dores, infecções e apinhamento dos dentes. Na realidade, qualquer dente pode estar na condição de incluso, com necessidade de extração – mas os mais comuns são os sisos e os caninos. A principal diferença entre o siso e os demais está na dificuldade para acessá-lo.

“Os sisos são um dente como outro qualquer. Mas o fato de estarem em posição mais difícil para a cirurgia faz com que seja necessário conhecimento e experiência do profissional”, explica Correia.

De acordo com o profissional, esses procedimentos eram muito mais incômodos há alguns anos, mas a tecnologia e as novas técnicas cirúrgicas tornaram os procedimentos mais simples e com recuperação mais rápida e previsível.

“Somente fazemos a remoção dos sisos inclusos com todos os exames necessários (radiografias panorâmicas ou até mesmo tomografias), indicando sua perfeita localização com relação a nervos, dentes vizinhos e demais regiões anatômicas importantes da cavidade bucal”, comenta.

Com a tecnologia, as diversas etapas do processo ficaram mais eficientes, tornando, sobretudo, a recuperação mais rápida.

Pericoronarite

A inflamação, que acontece principalmente no dente do siso, pode gerar dor, inchaço, sangramento e mau-hálito. Leia mais sobre o problema neste post.

Outros tópicos importantes para a retirada dos sisos:

Anestesia

Houve grande evolução das anestesias. Atualmente, é possível praticamente nem mesmo sentir a famosa “picadinha”, graças a aparelhos como o The Wand, equipamento capaz de controlar o fluxo do anestésico, reduzindo a sensação de dor e os efeitos colaterais, novidade da tecnologia na Odontologia.

O procedimento

Com os exames e as novas tecnologias, é possível realizar cortes menos invasivos e cirurgias que causem menos incômodo ao paciente, tornando a recuperação mais rápida. “Há alguns anos, a remoção dos sisos assustava devido à recuperação lenta e a falta de conforto ao paciente. Hoje, esse quadro mudou completamente”, ressalta o dentista.

Mitos e verdades sobre a retirada do siso em Curitiba

Existem muitos mitos por trás da cirurgia de retirada do siso e vamos aproveitar para listar alguns, com a ajuda do Dr. Sergio Correia.

Todo mundo deve retirar o siso um dia?

Não é verdade! Em alguns casos, o dente nasce em harmonia com o restante da arcada dentária. Outro caso que dispensa a retirada ocorre em pacientes os quais nem têm os dentes! Sim, é comum o dente não nascer em algumas pessoas.

Se eu tiro um, devo tirar todos?

Não necessariamente. Isso vai depender da necessidade e do posicionamento dos dentes. Porém, é recomendado (não obrigatório) que se realizada a retirada de um superior do lado direito, por exemplo, que se faça a cirurgia também no inferior do mesmo lado, para evitar que o dente machuque a gengiva oposta e fique sem o seu par.

É possível retirar todos de uma vez só?

Sim! Mas mais uma vez, somente se necessário — o profissional precisa avaliar esse quadro! Teoricamente, são quatro dentes do siso, superior e inferior, direito e esquerdo. É possível retirar os quatro em um único procedimento cirúrgico (em consultório, com anestesia local), ou retirar dois e dois. Isso vai depender das condições dos dentes, que serão avaliadas pelo profissional.

Existe uma idade certa para retirada do siso?

Não! Existe a recomendação de que seja feita a retirada do siso na adolescência, pela formação da raiz que ainda não está completa, mas nada impede que o siso seja retirado após esse período, na fase adulta. Porém, quanto antes, mais simples e rápidos tendem a ser os processos e a recuperação.

Toda a avaliação, informação sobre o procedimento, preparo pré e pós-cirúrgico, cuidados, retirada de pontos, entre outras questões podem ser consultadas com o especialista, que dará todos os esclarecimentos para que a retirada do siso seja realizada de forma simples e rápida.

Precisa realizar a retirada do siso em Curitiba? Tem alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato e agende um horário.

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).