(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com
Retirada do Siso em Curitiba

Retirada do siso em Curitiba: cuidados pós-cirúrgicos, sisos inclusos e extração tardia

Encontrar um dentista capacitado e seguro para fazer a cirurgia do siso é fundamental, mas o paciente precisa também tomar os cuidados adequados no pós-operatório

Há algum tempo, a cirurgia de retirada dos sisos em Curitiba se tornou um procedimento comum realizado em consultório, por inúmeros motivos, como a melhora da higienização. Um tratamento extremamente seguro, mas que exige a escolha de um profissional qualificado, caso do dentista Sergio Correia.

Apesar dessas facilidades para a retirada de sisos, o procedimento só é indicado depois de uma consulta detalhada e exames de imagem para melhor compreensão do quadro clínico. Após a realização do procedimento, é importante que o paciente assuma o protagonismo em prol de uma boa recuperação, tomando cuidados nos dias em que estiver em casa até o retorno ao consultório do profissional.

Na maior parte dos casos, mesmo nos sisos inclusos, a recuperação é rápida e confortável, sem maiores incômodos.

1.     Bolsa de gelo

É normal que o rosto fique um pouco inchado após o procedimento. Para diminuir o inchaço e aliviar os incômodos, as bolsas de gelo são excelentes companhias, especialmente no primeiro dia.

2.     Comida líquida e pastosa

Evite ingerir alimentos duros e que exijam muita mastigação. Uma dieta líquida e pastosa e, de preferência fria, pode contribuir para uma recuperação mais rápida. Alimentos quentes, como as sopas, atrapalham na cicatrização do procedimento.

3.     Siga as medicações

Os remédios foram prescritos para evitar infecções ou aliviar dores. Lembre-se de seguir à risca essas recomendações.

4.     Evite cigarros e bebidas alcoólicas

Embora seja um procedimento simples, há um corte na boca, que exige cuidados para a cicatrização. Por isso, tanto os cigarros quanto as bebidas alcoólicas, são verdadeiros vilões do processo de recuperação.

5.     Mantenha a higiene

Com um machucado na boca, a higiene bucal é ainda mais importante do que em dias normais. Tenha atenção, faça movimentos cuidadosos para evitar choques muito fortes, o que pode causar lesões e atrapalhar a recuperação. Relembre a forma correta de escovar os dentes!

Cuidado com a extração do siso tardia

Os sisos começam a nascer no final da adolescência – entre os 16 e os 20 anos. Neste momento, o profissional é capaz de detectar quando o dente pode vir a causar problemas no futuro, especialmente se estiver em um local de difícil acesso para a higienização, pressione a arcada dentária ou sofra com a falta de um par. Mesmo nesses casos, em um primeiro momento, o siso pode não gerar incômodos.

“Em uma consulta, é possível identificar os riscos. Às vezes, não existem espaços na arcada dentária e, em outros casos, o paciente terá muita dificuldade para conseguir fazer a higienização do modo adequado”, explica Correia, que realiza a cirurgia de extração do siso em Curitiba.

Procedimento mais complicado

Quando os terceiros molares são extraídos após o seu nascimento, suas raízes não estão completamente fixadas nos ossos, o que torna o procedimento mais simples. Pesquisas realizadas já confirmam que, quanto maior a idade do paciente, maior a incidência de infecções e dificuldades no pós-operatório. Aliás, é importante que o paciente siga as orientações do profissional para garantir um resultado mais efetivo.

Outro benefício da retirada precoce do siso está relacionado à saúde em geral. Como já foi apresentado no blog, estudos recentes apontaram uma relação entre pequenas infecções bucais com a ocorrência de problemas cardíacos, em especial o infarto e o AVC. A correlação está no fato de que as infecções na boca, mesmo que pequenas, levam as bactérias para a corrente sanguínea.

Por fim, as doenças periodontais – que podem ocasionar até mesmo queda dos dentes por afetarem os tecidos de sustentação – são um risco. A origem do problema é decorrente justamente dos problemas com a higienização.

Sisos inclusos: tecnologia facilita procedimentos

Se muitas pessoas sofrem com medo de extrair os terceiros molares, a explicação está em razão da dificuldade de remover os chamados “sisos inclusos”. Dentes “inclusos” são aqueles que enfrentam dificuldades para nascer em razão de vários motivos – como o fato de estarem inclinados ou não haver espaço suficiente para se tornarem visíveis – e dificilmente vão ocupar seu espaço devido na mastigação. A indicação de retirada se dá pelas inúmeras consequências que podem causar ao paciente, como dores, infecções e apinhamento dos dentes.

Na realidade, qualquer dente pode estar na condição de incluso, com necessidade de extração – os mais comuns são os sisos e os caninos. A principal diferença entre o siso e os demais está na dificuldade para acessá-lo.

“Os sisos são um dente como outro qualquer. Mas o fato de estarem em posição mais difícil para a cirurgia faz com que seja necessário conhecimento e experiência do profissional”, explica Correia.

De acordo com o profissional, esses procedimentos eram muito mais incômodos há alguns anos, mas a tecnologia e as novas técnicas cirúrgicas tornaram os procedimentos mais simples e com recuperação mais rápida e previsível.

“Somente fazemos a remoção dos sisos inclusos com todos os exames necessários (radiografias panorâmicas ou até mesmo tomografias), indicando sua perfeita localização com relação a nervos, dentes vizinhos e demais regiões anatômicas importantes da cavidade bucal. Com a tecnologia, as diversas etapas do processo ficaram mais eficientes, tornando, sobretudo, a recuperação mais rápida.

Outros tópicos importantes para a retirada dos sisos:

Anestesia

Houve grande evolução das anestesias. E, atualmente, é possível praticamente nem mesmo sentir a famosa “picadinha”, graças a aparelhos como o The Wand. Trata-se de um equipamento capaz de controlar o fluxo do anestésico, reduzindo a sensação de dor e os efeitos colaterais.

O procedimento

Com os exames e as novas tecnologias, é possível realizar cortes menos invasivos e cirurgias que causem menos incômodo ao paciente, tornando a recuperação mais rápida. “Há alguns anos, a remoção dos sisos assustava devido à recuperação lenta e a falta de conforto ao paciente. Hoje, esse quadro mudou completamente”, ressalta Sergio Correia, dentista em Curitiba com atendimento no Batel.

Está com dores ou alguma dificuldade? Entre em contato e marque a sua consulta!

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).