(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com
saude-bucal-dos-idosos

Saúde bucal dos idosos: os principais problemas

Contrariando o pensamento de muitos, o avanço da idade não reflete necessariamente na perda dos dentes ou em problemas de saúde bucal

Serão 19 milhões de idosos no Brasil em 2060. Esses dados do IBGE mostram que a população com mais de 60 anos está vivendo mais e, consequentemente, preocupando-se mais com a saúde, o bem-estar e a boa aparência. Isso reflete também na saúde bucal dos idosos, pois engana-se quem relaciona o avanço da idade com a perda de dentes. Ao contrário do que muitos pensam, não é natural perder dentes ao longo da vida.

Pessoas que mantêm o hábito da higienização diária, com o uso de fio dental e flúor, bem como as visitas ao dentista com periodicidade, têm mais chances de envelhecer sem a perda de dentes, o que garante mais tranquilidade para as atividades do dia a dia. Essa preocupação na terceira idade é ainda mais importante a partir de uma descoberta de que a causa do Mal de Alzheimer, que atinge 35 milhões de pessoas no globo, pode estar relacionada à presença de bactérias na boca pode contribuir para a evolução da doença.

“Com o tempo, as pessoas deixam de fazer as visitas para limpezas e, com isso, acumulam tártaro ou placas que formam as periodontites e podem resultar em situações mais graves, como os estudos têm demonstrado. Mas, cuidando bem dos dentes e visitando o dentista com frequência, eles podem durar a vida toda”, explica Sergio Correia, dentista em Curitiba com mais de 20 anos de experiência.

Dicas

Veja algumas dicas para garantir a saúde bucal até a terceira idade:

– Escovar os dentes com creme dental com flúor, usar fio dental todos os dias e visitar o dentista regularmente;

– Ter uma boa alimentação, evitar o estresse e o cigarro;

– Aos primeiros sinais de possibilidade de cáries, gengivite ou problemas nas raízes dos dentes, procurar um profissional;

– Ficar de olho também em sinais como boca seca, lesões na mucosa, retração gengival, hipersensibilidade, ou qualquer outro problema ou sensação incomum e comunicar ao dentista.

“Boca seca, devido à falta de saliva, está entre os principais incômodos dos idosos. Até ela merece atenção, pois pode estar relacionada a outras doenças e simplifica o surgimento de cáries e casos ligados à periodontia”, afirma Correia, especialista em Periodontia.

Além da boca

Nem sempre a saúde bucal está unicamente relacionada com a boca e com os dentes. Alguns quadros de doenças, como diabéticos, celíacos ou cardíacos podem afetar a saúde bucal dos idosos. “É importante manter o acompanhamento multidisciplinar, principalmente antes de iniciar tratamentos ou procedimentos invasivos”, comenta o dentista.

Correia também lembra que o diagnóstico precoce é benéfico, visto que facilita o tratamento e minimiza os danos, principalmente em situações pontuais, como os problemas nas gengivas. “Casos como o de gengivites são reversíveis em estágios iniciais. Sendo assim, o diagnóstico e início de tratamento cedo ajudam”, diz.

Mitos e verdades sobre a saúde bucal dos idosos

Idosos podem usar aparelhos ortodônticos? Pessoas que já tiveram periodontites podem colocar aparelhos? Muita gente responderia essas perguntas de forma negativa, alegando que os dentes dos idosos não podem ou devem ser alinhados com a ortodontia.

Mito! Idosos podem realizar tratamentos com a ortodontia, mesmo os que já tiveram problemas periodontais. “A indicação será feita pelo profissional, que apontará a necessidade ou não do tratamento ortodôntico, bem como realizar outras indicações de procedimentos, sempre cabíveis aos idosos”, comenta Correia.

Autoestima na terceira idade

Uma forma de recuperar a estima e o bem-estar do paciente é com a colocação de implantes dentários ou a realização do protocolo sobre implante. Os implantes dentários devolvem a capacidade de mastigação, uma das principais funções dos dentes, além de possibilitar o sorriso espontâneo e sem aquela vergonha causada pela falta de dentes.

As cirurgias de implante dentário podem ser feitas por quase todos os pacientes, têm um pós-operatório tranquilo e, com o uso da anestesia computadorizada, é praticamente indolor. Além disso, ela pode ser feita por meio da cirurgia guiada.

“O procedimento é muito importante para a autoestima na terceira idade, pois não tem preço recuperar as funções dos dentes e a harmonia do sorriso”, salienta Correia. Ao procurar um profissional para realizar a colocação de implantes dentários, não esqueça de verificar se os materiais são certificados e se o profissional está habilitado para o procedimento.

Procurando um dentista em Curitiba, especialista em Periodontia, pós-graduado em Implantes Dentários e com experiência de mais de duas décadas? Entre em contato com a Clínica Sergio Correia e agende a seu horário, estamos localizados no Brasil 500, no Batel.


Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).