(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com

Quase metade da população brasileira sofre com problemas dentais

Em alguns estados, como São Paulo, percentual ultrapassa a metade entre pessoas de 35 a 44 anos

Um estudo, realizado pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba, da Unicamp, mostrou que mais da metade (50,57%) dos adultos com idade entre 35 e 44 anos de São Paulo sofrem com problemas dentais. Entre os problemas mais citados, estavam a dor de dente, o tártaro e os sangramentos. Os números observados no estado paulista não fogem muito do que é visto no Brasil: impactos negativos relacionados à saúde bucal estavam em 48,1% no último estudo feito.

“O brasileiro não tem a conscientização da consulta preventiva, de visitar o dentista periodicamente, mesmo quando não há qualquer sintoma evidente”, afirma Sergio Correia, dentista com mais de 20 anos de experiência que atende no Batel, em Curitiba.

Diferentemente do Brasil, estudos realizados na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte apontaram que 16% das pessoas com mais de 21 anos têm problemas dentais, enquanto na Noruega o número foi de 19% na população de 25 a 44 anos. “Lá fora a cultura é muito diferente e, neste aspecto, deveria ser seguida por todos nós”, diz Correia.

Problemas no dia a dia

Sofrer com doenças bucais, sejam elas quais forem, pode causar muitos impactos no cotidiano de suas vítimas. Vergonha para sorrir ou conversar, mau hálito, dores para mastigar ou alta sensibilidade são algumas das consequências de quem tem alguma anormalidade na boca — em alguns casos, a gravidade pode ocasionar a perda dos dentes.

Além dessas, existem os problemas que ultrapassam as barreiras bucais, como dores de cabeça ou no ouvido. “São decorrências que nem sempre são associadas aos problemas bucais, mas que muitas vezes têm relação com uma falta de dente ou com um problema periodontal”, comenta o profissional.

Doenças correlacionadas

Conforme já mostramos no blog, muitas doenças mais sérias podem ter correlação com simples problemas bucais. É o caso do Alhzeimer, de doenças cardiovasculares e a possibilidade de ter um diagnóstico de câncer inicial, entre outras possibilidades. As pesquisas mostram, cada vez mais, que as bactérias provenientes dos problemas periodontais e infecções, se infiltram na corrente sanguínea, podendo se alojar em diversas partes do corpo, o que gera outros problemas e incômodos.

“Na verdade, é uma via de mão dupla: a falta de cuidado nos dentes podem desencadear outras doenças e, ao mesmo tempo, outros problemas de saúde podem deixar o paciente mais fragilizado e suscetível às periodontites”, diz Correia.

Mantenha a saúde dos seus dentes em dia. Agende a sua avaliação periódica e cuide dos seus dentes.

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).