(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com
periodontia-em-curitiba

Periodontia em Curitiba: problemas gengivais

Saiba identificar os estágios dos problemas gengivais e o que fazer para evitá-los

Gengivas vermelhas, com sangramento ou inchadas. Esses sintomas indicam que você está com problemas gengivais, que podem ser desde uma pequena inflamação até uma gengivite. Hoje vamos abordar alguns sintomas relacionados aos problemas nas gengivas, para facilitar a identificação e evitá-los.

A presença de placa bacteriana é a principal causa da gengivite, que nada mais é que uma inflamação na gengiva. As bactérias, quando não removidas, infeccionam ao redor do dente e causam alguns sintomas.

Fique de olho

Uma gengiva saudável é firme e não sangra. A coloração é uniforme e ela é bem acomodada ao redor dos dentes. Observe:

– gengiva sangrando, com vermelhidão, inchada ou flácida

– sangramentos durante a escovação ou o uso do fio dental

– gengivas afastadas dos dentes

– secreção ao redor dos dentes

– mau hálito ou gosto ruim na boca constantemente

Por que a gengiva sangra?

É difícil encontrar uma pessoa que nunca tenha visto um fio de sangue correr ao escovar os dentes ou ao passar o fio dental. Trata-se de um sintoma relativamente comum e relatado com frequência por muitos pacientes.

Embora possa ser algo considerado “rotina” para muitas pessoas, os sangramentos precisam ser acompanhados com atenção. Podem ser simples reflexos de uma má escovação – quando a boca não é higienizada da forma correta, podem ocorrer pequenas inflamações na gengiva – ou problemas mais graves, como uma periodontite.

Veja alguns exemplos para fazer a gengiva sangrar:

  1. Força exagerada

Escovar os dentes com agressividade pode causar sangramentos. Lembre-se: não há necessidade de colocar muita força no momento de limpar os dentes.

  1. Material inadequado

Escolha uma escova de dentes apropriada. Não precisa comprar equipamentos tecnológicos: a escova pode ser simples, desde que impeça a proliferação de micro-organismos e não afete a gengiva. Opte pelas menores, com cerdas macias e arredondadas, que alcancem locais mais complexos e evitem lesões.

  1. Má higiene

Sangramento pode ser decorrente da má higiene. Sim, pessoas que passam o fio dental sem a frequência necessária – uma vez por semana, por exemplo – acabam sofrendo com esse problema. Nesses casos, com a higienização correta, existe a tendência de o sangramento parar. Se persistir, é importante buscar o acompanhamento profissional.

  1. Falta de vitaminas

A escassez de vitaminas, especialmente a K e a C, pode contribuir para o sangramento das gengivas. O escorbuto – doença relacionada à falta da vitamina C – é uma das principais consequências, e a boca tende a ser afetada – o doutor Drauzio Varella explica mais neste artigo. Já a vitamina K, por outro lado, está relacionada à coagulação.

  1. Próteses antigas

Os implantes dentários precisam de revisões constantes. Se houver algum problema nas próteses, os sangramentos podem ocorrer com mais frequência. Pessoas que passaram por esse tratamento devem ter mais atenção ao problema.

Outros problemas periodontais

Além da gengivite, outros problemas podem acometer a saúde bucal, como as periodontites, consideradas um estágio mais avançado da gengivite. “No caso das periodontites, o osso é afetado, podendo danificar fibras e toda a sustentação dos dentes”, explica Correia, dentista em Curitiba com experiência em Periodontites.

Como isso acontece? Quando a bactéria mal removida da gengivite que mencionamos acima penetra pelo tecido, atingindo as raízes que sustentam os ossos dos dentes. Neste caso, as fibras e os ossos são destruídos, abalando a estrutura dos dentes que ficam moles e caem.

Sintomas das periodontites

Os sintomas também são semelhantes: mau hálito, gengiva em tons avermelhados ou de roxo, inchadas e sensíveis ao toque, além de sangramento fácil – tanto na escovação quanto ao passar o fio dental. “Normalmente, os pacientes sofrem com uma gengivite e, se ela não for tratada, evolui para a periodontite. Por isso, a recomendação é para buscar um dentista quando sentir incômodos”, comenta o profissional.

Uma das orientações dada pelo dentista – e que pode surtir efeito em outros problemas, além das periodontites – é ficar atento aos recados do corpo. Se os sangramentos durante a escovação estão comuns e há indícios de que a gengiva está sensível, a recomendação é por procurar um profissional, que vai analisar o caso e realizar o tratamento necessário.

Prevenção e tratamento

Na odontologia, a prevenção é uma excelente forma de evitar o surgimento ou agravamento de problemas mais rotineiros – e as periodontites só constatam esse raciocínio. “A higiene correta, com o fio dental e o enxaguante bucal, é um bom caminho para impedir problemas. Dessa forma, a placa bacteriana não se acumula e impede o agravamento”, revela Correia.

Quando o problema já se faz presente, o tratamento consiste na raspagem dos dentes, retirando o excesso de placa e reduzindo a inflamação. Porém, se o caso for de periodontite, há necessidade de uma avaliação mais minuciosa e, dependendo do caso, de outros procedimentos até mesmo cirúrgicos, como a gengivectomia ou a gengivoplastia.

Be-a-bá

Como sempre frisamos, a forma mais fácil de evitar os problemas gengivais ou periodontais é prevenindo: escovação bem feita, uso do fio dental e do enxaguante bucal diariamente e a visita regular ao dentista.

“Muitas vezes o restabelecimento da gengiva acontece em casa. Mas as visitas regulares podem auxiliar na rápida identificação do problema, bem como o início precoce do tratamento”, salienta o dentista.

E você, já deu uma olhadinha na sua gengiva hoje?

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).