(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com

O que esperar de uma consulta ao dentista?

Quais procedimentos são realizados em uma consulta ao dentista? Veja as explicações de Sergio Correia, dentista em Curitiba há mais de 20 anos

Todos devem visitar o dentista a cada seis meses, certo? Nem sempre! Nem todo paciente precisa realizar uma consulta ao dentista semestralmente: alguns podem necessitar de um retorno antecipado, enquanto outros podem ficar até um ano sem a obrigatoriedade. Quem define esse tempo é o dentista, afinal, diversos critérios são avaliados na consulta de rotina para determinar qual o período ideal para o retorno.

É fato que, por melhor e mais cuidadosa que seja sua higienização, ninguém é capaz de limpar os dentes de forma perfeita. Em uma consulta de rotina, o dentista vai investigar suas gengivas – evitando periodontites e gengivites –, realizar a profilaxia (removendo o excesso de placa bacteriana por meio da raspagem) e da mucosa da boca como um todo.

Prevenção

“O principal objetivo de uma visita de rotina é a prevenção. Dessa forma, conseguimos manter a saúde bucal e identificar situações que podem evoluir para algum tipo de incômodo mais sério”, explica Sergio Correia, dentista em Curitiba especialista em Dentística Restauradora e Periodontia.

A consulta de rotina também pode exigir exames mais complexos para identificar problemas adicionais, como as radiografias e outros exames de imagem. Com o apoio da tecnologia, a opção por esse tipo de exame acontece por uma série de fatores levados em conta pelo profissional: a idade, a percepção do risco de doenças, os tratamentos realizados anteriormente, entre outros aspectos.

Vale destacar que a visita ao dentista pode ajudar a identificar problemas mais graves do que cáries ou tártaro, caso das doenças cardíacas, do câncer de boca e de incômodos na coluna (decorrentes da lesão cervical não cariosa).

Tire dúvidas e não esconda informações

Aproveite o período com o dentista para tirar suas dúvidas e contar sobre detalhes e situações relacionadas à saúde bucal. Quanto mais informações o profissional tiver em mãos, mais fácil será o diagnóstico. Além disso, é importante que o paciente jamais omita informações do seu dentista a fim de obter o diagnóstico correto.

Uma pesquisa realizada pelo Centro Internacional Odontológico Brasileiro (CIOB) de São Paulo mostrou que mais de seis em cada dez pacientes omitiram informações no momento da anamnese do profissional de odontologia. Do total de ouvidos, 68% acham “desnecessário” prestar tais informações ao profissional, enquanto 32% alegam “esquecimento”.

A importância da anamnese

A anamnese é uma entrevista, com técnicas específicas aplicadas pelos profissionais da saúde, para avaliar e diagnosticar o indivíduo. Em suma: é a base de qualquer tratamento que se pretende realizar, obtendo informações sobre a origem do problema e o histórico familiar, de forma a tentar compreender o diagnóstico como um todo. Para tal, além das respostas propriamente ditas, o profissional também avalia a linguagem corporal e outros aspectos comportamentais do paciente.

Compreender o paciente e seu histórico de saúde é extremamente importante, ainda mais em cirurgias complexas, como sisos, implantes ou enxertos ósseos. “O planejamento do procedimento é feito tomando como base também as informações prestadas na anamnese. Por isso, é fundamental que o paciente conte detalhes e outras informações solicitadas”, explica Correia.

Dados pessoais, exames físicos, observações das características da boca, com a iluminação e equipamentos adequados, auxiliam o profissional a compreender o paciente e o planejamento necessário para se obter o resultado desejado. Na avaliação inicial, é possível notar uma série de questões que podem influenciar o tratamento e o resultado final, como, por exemplo, se o paciente range os dentes.

A soma do diagnóstico obtido por meio das observações e das informações fornecidas pelos pacientes indicam o caminho do tratamento. “Na odontologia, há uma série de cirurgias complexas, especialmente os implantes dentários, que podem necessitar até de enxertos ósseos. Por isso, a importância de se ter dados corretos”, ressalta.

Até mesmo nos procedimentos estéticos, como no caso das facetas de porcelana, a conversa com o paciente é fundamental para tentar compreender suas expectativas. “Sempre orientamos a pessoa de que o seu sorriso é único e, por esse motivo, fazemos o trabalho de visagismo, que visa harmonizar a aparência facial e o sorriso”, diz o profissional, especializado em Odontologia Estética, Periodontia e Implantes.

Regulamentação

O Conselho Federal de Odontologia (CFO) apresenta um modelo de documento de anamnese, que pode ser usado pelos profissionais. Nele, o paciente precisa informar uma série de aspectos relevantes: se sofre de alguma doença; se está em tratamento; se já houve problemas com cicatrização, anestesia e hemorragia, entre outros.

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).