(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com

Como tratar dentes sensíveis

A visita ao dentista é importante no diagnóstico, mas é possível amenizar os sintomas com hábitos do dia a dia

Sente até um frio na barriga ao pensar em tomar um café quentinho ou aquele milk shake bem gelado? Ter hipersensibilidade dentinária realmente é um incômodo e tanto. Se você sofre com isso, saiba que é possível amenizar o problema com medidas simples do cotidiano, mas é imprescindível a visita ao dentista. Além do incômodo, ter os dentes muito sensíveis pode acarretar em problemas mais sérios, como a lesão cervical não cariosa (LCNC) e até a perda do dente.

As causas para ter dentes sensíveis, em geral, estão ligadas a três fatores: desgaste do esmalte; problemas nas gengivas; e o ranger dos dentes. Normalmente, os problemas são causados pela exposição da dentina – os dentes são compostos por polpa, dentina e esmalte, sendo que o último tem a função de proteção e, se bem conservado, evita a incômoda sensação.

“Na polpa, encontra-se o nervo do dente, que está conectado à dentina, reagindo aos estímulos, especialmente o quente e o frio, o que causa incômodo e dores”, explica o dentista curitibano, especialista em Periodontia, Sergio Correia.

Dentes sensíveis, como evitar

Consultar um dentista em casos de hipersensibilidade dentinária é fundamental para garantir que o tratamento seja efetivamente realizado sobre a causa do problema – e não que se trate apenas os sintomas. Em alguns casos, como na retratação gengival, pode ser necessário até mesmo um procedimento cirúrgico.

Os tratamentos mais comuns são a fluorterapia, restauração e laserterapia. O primeiro, que consiste no uso do flúor em grandes concentrações, visa fortalecer os dentes. “Nele, a dentina é novamente resguardada por uma camada protetora”, explica o dentista.

A restauração também pretende criar uma barreira de isolamento da dentina. Mas, desta vez, são usados outros elementos, como a resina. Por fim, há a terapia a laser, que veda alguns dos canais que ligam a dentina à polpa, evitando a dor.

“Não é possível afirmar qual dos tratamentos é o mais indicado, visto que cada um é aplicado em situações distintas. Por isso, visitar um profissional é fundamental para uma análise profunda e solução do problema”, diz Correia. A escolha do tratamento é uma decisão tomada pelo profissional, levando em conta a opinião e a individualidade de cada quadro.

Dicas para dentes sensíveis

Embora a visita ao consultório seja importante, algumas medidas podem ser tomadas em casa para amenizar o problema.

  1. Escova de dentes adequada – Com cerdas ultramacias e arredondadas, já que as cerdas duras favorecem o desgaste do esmalte.
  2. Escove somente o necessárioEscovar os dentes em excesso também propicia o nascimento do problema, já que também desgasta o esmalte.
  3. Evite alimentos ácidos – Refrigerantes, energéticos, vinagres e até mesmo sucos mais ácidos são um verdadeiro vilão para quem sofre desse mal.
  4. Use creme dental indicado pelo profissional – Existe uma infinidade de géis e cremes dentais no mercado. Na consulta com o profissional, procure conhecer marcas e produtos que se apliquem ao seu quadro.
  5. Neutralize a acidez bucal – Ao escovar os dentes imediatamente após o almoço, a escova pode carregar a acidez para o dente, o que prejudica o esmalte. Gomas de mascar sem açúcar após o almoço neutralizam o PH bucal antes da escovação.

De olho no clima

Sabia que  a temperatura externa pode influenciar na sensibilidade dos dentes? Em geral, os dentes estão a uma temperatura de 37 graus – seguindo a média do corpo. Quando a temperatura baixa mais de 10 graus desse valor, é possível que algumas pessoas comecem a sentir problemas com a sensibilidade nos dentes.

Por isso, fique de olho no clima, na amplitude térmica e nas grandes variações ao longo do dia. Agasalhe o rosto, assim como é feito em todo o corpo, com cachecol e gorro, e não dispense a grande ingestão de água ao longo do dia. Com o clima mais seco e tendências a rinites e gripes, a boca seca com mais facilidade.

Tem alguma dúvida sobre hipersensibilidade dentinária? Agende uma consulta e venha conversar com a gente.  

Imagem: Freepik

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).