(41) 99201 2700 (41) 3027 7200 sergiocorreia2700@me.com

A importância de mastigar corretamente

Além de facilitar o processo de ingestão, mastigar corretamente os alimentos evita as DTMs e outras complicações da saúde bucal

Parece besteira comentar sobre a necessidade de mastigar corretamente os alimentos, mas, às vezes, o processo acontece tão automaticamente que nem nos damos conta. Com isso, os alimentos não são perfeitamente triturados, prejudicando o processo digestivo. A mastigação incorreta também pode causar dores, inflamações e até as disfunções temporomandibulares (DTMs), em casos mais graves.

Como uma simples mastigação pode fazer tudo isso?

O ato de mastigar vai além de colocar o alimento na boca, morder algumas vezes e deglutir. É um processo que exige atenção e calma, embora seja um ato pouco percebido pelas pessoas. Nada de comer com pressa, pois isso não combina. Quando você come rápido, sem trabalhar os movimentos articulares com cuidado, você pode acabar prejudicando as articulações da face.

Com isso, as dores de cabeça, as enxaquecas, as dores de ouvido, o cansaço na região mandibular e as dificuldades de movimentar a região da boca se tornam mais recorrentes. “Uma simples mastigação errônea recorrente pode causar as DTMs, trazendo mal-estar e prejudicando o funcionamento das articulações mandibulares”, explica o dentista Sergio Correia.

Além da mastigação, outros sintomas como a ansiedade, o estresse, o bruxismo ou a má oclusão dental podem resultar nas dores e disfunções.

E para mudar esse quadro?

Como o processo mastigatório é automático, a primeira dica é tirar um tempo para prestar atenção na mastigação. Avalie o número de mastigadas – o ideal é mastigar pelo menos 30 vezes antes de engolir -, a quantidade de comida ingerida por vez, o equilíbrio de mastigar com os dois lados da boca, e os movimentos, que devem ser circulares.

“É normal mastigarmos mais com um lado do que com outro ou simplesmente não nos atentarmos a esses detalhes do dia a dia. Essa avaliação pessoal é importante, para que uma ação cotidiana não se transforme em um problema. A principal mudança começa na própria percepção pessoal”, analisa Correia.

Outras sugestões para auxiliar no momento das refeições são largar os talheres enquanto mastiga, comer de boca fechada e prestar atenção no ato, até que ele se torne um hábito. 

“Não é trabalhoso nem custoso realizar essa análise para aprimorar a mastigação, prevenir dores e disfunções, que podem literalmente causar muito mais dores de cabeça do que o imaginado. Previna-se!”, diz Correia, que trata casos de bruxismo e DTMs em seu consultório, localizado no Batel, em Curitiba.

Informações do Autor

Dr. Sergio Correia

Formado em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná em 1997. Professor do Curso de Resolução Cirúrgica de Dentes Inclusos ABO-PR. Especialista em Dentística Restauradora ABO-PR (Latu Sensu). Especialista em Periodontia ABO-PG (Latu Sensu). Credenciado Sistema Neoguide de Implantes. Pós Graduado em Implantes Ilapeo/PR. Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Membro International Federation of Esthetics Dentistry (IFED).